Nutrição Terapêutica: veja como a alimentação pode contribuir na quimioterapia.

17 de outubro de 2017 - Saúde

Conhece alguém que está passando pela quimioterapia? Veja como a alimentação pode auxiliar nos efeitos colaterais do tratamento

A nutrição terapêutica é a área da nutrição que estuda as propriedades dos alimentos na atuação de tratamento de doenças.  Neste mês vamos abordar desde os alimentos que previnem, os que auxiliam no tratamento para reduzir o tumor e potencializar os efeitos dos medicamentos, até os alimentos do pós tratamento para minimizar a recidiva do tumor. Hoje vamos falar de quais estratégias nutricionais podem diminuir os efeitos colaterais de um dos tratamentos: A Quimioterapia.

Para entender como e porque a alimentação pode contribuir, vamos entender um pouco mais da ação da quimioterapia.
A quimioterapia é o método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.

Mecanismos de ação
Infelizmente, a quimioterapia não é seletiva, ou seja, não atinge apenas as células com câncer. Por isso há efeitos colaterais, já que as células saudáveis também sofrem com essa química que é afetada por todo o corpo.

Toxicidade dos quimioterápicos
Os quimioterápicos não atuam exclusivamente sobre as células tumorais. As estruturas normais que se renovam constantemente, como a medula óssea, os pêlos e a mucosa do tubo digestivo, são também atingidas pela ação dos quimioterápicos. No entanto, como as células normais apresentam um tempo de recuperação maior e estão mais saudáveis, elas conseguem se reconstituir quando se tem uma nutrição adequada das células.

O quadro abaixo mostra exemplos de efeitos tóxicos dos quimioterápicos, conforme a época em que se manifestam após a aplicação.

Outro fator importante é a condição de saúde de cada paciente, mais uma vez a alimentação e a nutrição é essencial para que o paciente receba a quimioterapia e esteja preparado para se recuperar, evitar infecções, ter mais qualidade de vida.

Critérios para aplicação da quimioterapia
Para evitar os efeitos tóxicos intoleráveis dos quimioterápicos e que eles ponham em risco a vida dos pacientes, são obedecidos critérios para a indicação da quimioterapia.

Esses critérios são variados e dependem das condições clínicas do paciente e das drogas selecionadas para o tratamento.

A seguir, são listados alguns requisitos ideais para a aplicação da quimioterapia:

Condições gerais do paciente:

• menos de 10% de perda do peso corporal desde o início da doença;
• ausência de contra-indicações clínicas para as drogas selecionadas;
• ausência de infecção ou infecção presente, mas sob controle;
• capacidade funcional correspondente aos três primeiros níveis, segundo os índices propostos por Zubrod e Karnofsky.

Contagem das células do sangue e dosagem de hemoglobina. (Os valores exigidos para aplicação da quimioterapia em crianças são menores.):

Leucócitos > 4.000/mm³
Neutrófilos > 2.000/mm³
Plaquetas > 150.000/mm³
Hemoglobina > 10 g/dl

Dosagens séricas:

Uréia < 50 mg/dl
Creatinina < 1,5 mg/dl
Bilirrubina total < 3,0 mg/dl
Ácido Úrico < 5,0 mg/dl
Transferasses (transaminases) < 50 Ul/ml

*Fonte: Controle do Câncer, adaptação INCA, Rio de Janeiro. Acessado em Outubro de 2017

Normalmente nos casos de câncer de mama, o tratamento da quimioterapia é recomendado dos estágios I a III

Estágio I Estágio II Estágio III
  • Esses cânceres ainda são relativamente pequenos e não se disseminaram para os linfonodos ou têm apenas uma pequena área de câncer disseminada no linfonodo sentinela.

 

  • Estes cânceres são maiores que os do estágio I e/ou se disseminaram para alguns linfonodos.
  • No estágio III, o tumor é maior ou está crescendo nos tecidos próximos ou se disseminou para vários linfonodos próximos.

 

*Fonte: Oncoguia- American Cancer Society (18/08/2016)


Nutrição e a Ciência dos Alimentos na Quimioterapia

O principal aqui é que valorizemos os alimentos, uma vez que além da propriedade terapêutica que ele apresente, ele vai muito além de uma característica. O mesmo alimento que auxilia no enjoo, também tem nutrientes para melhorar a imunidade, desintoxicar o fígado e ainda, o essencial:  É comida! Tem sabor significados envolvidos, culturais, sociais, emocionais… O alimento sempre é benefício ilimitado quando usado de forma adequada.

Como vimos na tabela anterior os sintomas e efeitos colaterais do tratamento, vamos as estratégias nutricionais para  os mais comuns deles:

Náuseas

Gengibre ( pedaços para mascar)  ou Chá gelado de gengibre

Cubos de gelo de suco de limão

Suco de acerola bem gelado

Purê de batata sem leite

Cenoura ralada crua

Evite ficar perto da preparação da comida, para que o cheiro não provoque enjoo.

Evite alimentos condimentados e com odores fortes

Evite sopas e preparações líquidas e quentes

Prefira tudo que for seco e gelado

 

Vômitos

Tomar água bem gelada de “golinhos”, não tome tudo de uma vez

Evite preparações líquidas para “não voltar” mais rápido e provocar mais vômitos

Evite óleos e gorduras para não dificultar a digestão

Prefira frutas digestivas : abacaxi doce, mamão

Mascar hortelã ou chá gelado

Chás digestivos: camomila e erva doce, pode fazer cubo de gelos com eles para aliviar o enjoo e os vômitos

Evite saladas cruas , casca de frutas e  alimentos de difícil digestão como carnes inteiras. Use sempre carne moída, frango desfiado, tudo o mais cozido possível para que o “calor já digira o alimento” e não force o estomago.

Verificar com seu nutricionista sobre dosagem de vitamina b6 50mg em veículo sublingual


Queda de Cabelo

Pode ocorrer por deficiência de nutrientes e desequilíbrio hormonal, principalmente da testosterona ( desequilíbrio fica acentuado no tratamento quimioterápico)

Consumir mais alimentos ricos em:

vitamina A: cenoura, mamão, manga, pimentão organico

vitamina do complexo B : cereais integrais, aveia, gema do ovo, castanhas

Suplementar via sublingual e não comprimido por conta da abdorção no intestino: vitamina D (2000UI) e Vitamina B12 350mcg no mínimo mas é essencial que você veja com seu nutricionista a dose ideal para você

Outro nutriente importante é o zinco que é depletado durante a quimioterapia, por isso aumente o consumo de carnes sem hormônios e antibióticos,  cacau, kefir, castanha de caju, grão de bico, espinafre

Verificar o consumo de proteína: Seja ela vegetal ou animal ( família do feijão: lentilha, ervilha, grão de bico) carnes, frango sem hormônios, peixes de preferencia frescos)

Veja a quantidade ideal para você com seu nutricionista, mas para casos de quimioterapia no câncer de mama o ideal é de 1.6 g de Proteina por kilo de peso do paciente

Castanha do Pará pelo menos 2 unidades por dia antes de dormir

Mucosite

Evitar alimentos ácidos :  frutas ácidas, café, leite e derivados, açúcar refinado

Evitar alimentos gordurosos: frituras, óleos, esfirra, coxinha, empadinha, bolos com recheios, bolachas recheadas

Hidrate-se . Mesmo que haja dificuldade de deglutir mas tente aos pouquinhos. É extremamente importante. O mecanismo de dor do corpo aumenta quando estamos desidratados.

Prefira alimentos/ preparações  frias, já que a inflamação na boca/garganta irá ficar mais sensível com calor

Atenção para alimentos crocantes pois os pedacinhos podem irritar e cortar a mucosa que já está super sensível

Tomar 3x ao dia suco de aloevera  puro, 2 colheres de sopa. Verifique a procedência dele. De preferencia orgânico (Sugestão de Marcas: Biovea, Aloe, Forever)

 

Queda da Imunidade

A imunidade tem um segredo: intestino! Vamos falar muito sobre ele nos próximo posts.

Além da absorção dos nutrientes estarem falhas, pelo processo de regeneração do tecido do intestino que é afetado pela quimioterapia, o intestino é responsável pelas células do sistema imune. Por isso veja com seu nutricionista se precisa de suplementação dos nutrientes e quais deles podem vir via alimento, de preferencia sempre, a comida!

Normalmente a falta de vitamina A, E , selênio, Zinco e Proteína são os responsáveis pela falta de imunidade.

Para melhorar a função do intestino precisamos muito mais que apenas fibras como aveia, linhaça, chia, sementes, frutas, verduras. Precisamos das bactérias do bem, os famosos probióticos que podem vir naturalmente de kefir, iogurtes de alta qualidade, probióticos de conserva de repolho/ batata.

Outra forma é manipulação em farmácia de extrema confiança, pelo menos 5 bilhões de bactérias de preferencia em sachês e diluídos no chá de erva doce. Probiótico possui uma difícil capacidade de “morar” no nosso intestino, por isso devemos sempre consumir a noite como o ultimo item/alimento que o intestino vai receber, assim durante o sono é possível do probiótico fazer seu trabalho e se fixar de forma mais fácil.

 

Perda de Peso

O câncer é uma doença que acelera muito o metabolismo e com isso consome muita energia do corpo. Além disso há uma perda de apetite por conta da quimioterapia, dessa forma a perda de peso é acelerada. Coma de pouquinho e de forma espaçada para não concentrar grandes volumes, sentindo -se mais leve, dando tempo para a sua digestão.

Aumenta a densidade calórica, ou seja,  pode comer uma porção pequena, mas que ela tenha quantidade calórica suficiente para o seu dia e suas necessidades, por isso procure sue nutricionista

Alguns exemplos:

 

Dor de Cabeça ( normalmente por intoxicação do fígado)

Cada câncer tem um mecanismo no nosso corpo completamente diferente.  E peço para que vocês não tomem suplementos ou chás diferentes dos que foram indicados pelo seu nutricionista/médico, pois pode implicar em malefícios para o seu tratamento.

Especificamente no câncer de mama, podemos usar para os casos de dor de cabeça o chá de boldo associado com frutas vermelhas e hortelã.

Ferva o boldo por 2 minutos, adicione  1 colher de sopa de frutas vermelhas secas ou 1/3 xic  de fruta vermelha in natura. Se for usar sachê de frutas, use ao menos 2 sachês. Abafe por mais 8 minutos.

Adicione mais alimentos fontes de vitamina B6, B3, Magnésio e Potássio na mesma refeição:

Escolha pelo menos 1 : Magnésio: Aveia, banana, Uva, Gergelim, beterraba, batata, peixes, couve, espinafre

Escolha mais 1 desse grupo: Vitamina B6: Salmão, banana, ervilha, truta, avelã, nozes, ameixa, camarão, abacate, suco de tomate

Complemente  com algúem do grupo da B3: folhas verde escuras (espinafre, couve, agrião, rúcula), carnes sem antibiótico, frango sem hormônio, amendoim

E finalize com a família do Potássio: leite e derivados de alta qualidade, abacate, água de coco,  laranja, folha de beterraba, semente de girassol, banana, melancia, melão, mamão.

 

E ai, qual  combinação você gostaria de fazer que une o prazer em comer com os benefícios nutricionais dos alimentos?

As dicas aqui foram para auxiliar durante a quimioterapia, mas vale ressaltar que cada pessoa deve ser tratada com individualidade. Por isso procure um nutricionista e confiem na equipe multidisciplinar que está cuidando de você. Aproveite para conhecer novos alimentos, novas formas de preparo, de temperos e explorar novos sabores! A batalha contra o câncer não é fácil, é desafiadora, mas você não está sozinha: É hora de unir a família e os amigos, e quem sabe de preparar um super jantar com saúde e recheado de sabor?!

você vai gostar:

Alimentos contra o câncer: Como a alimentação pode influenciar no câncer de mama

Alimentos contra o câncer: Como a alimentação pode influenciar no câncer de mama

Você sabia que a alimentação tem um efeito mais significativo do que você imagina no câncer de mama?   De acordo com  a OMS...

Veja mais
Dieta para uma vida melhor

Dieta para uma vida melhor

Existe dieta para uma vida melhor? Controlar a ansiedade e diminuir o stress? Qual alimento posso consumir? Muitas perguntas surgem quando se trata desse...

Veja mais
Dieta Anti Estresse e Ansiedade

Dieta Anti Estresse e Ansiedade

Aline ensina uma dieta simples para evitar sintomas de estresse e ansiedade Se você vive estressado, ansioso e de mau humor sabia que a...

Veja mais